49. 3622.1639
49. 99917.3055

OMS espera que vacina da AstraZeneca entre na lista de uso emergencial em 2 semanas

Segundo organização, 150 milhões de doses da vacina de Oxford e da AstraZeneca devem estar disponíveis para distribuição no primeiro trimestre.


A Organização Mundial da Saúde (OMS) espera que a vacina da Universidade Oxford e da AstraZeneca entre para a lista de uso emergencial da organização em duas semanas, declarou Soumya Swaminathan, cientista-chefe da OMS, nesta sexta-feira (29).

Mundo pesquisa 236 vacinas e já testa 16 em humanos, mas poucas têm chance de chegar ao Brasil, avaliam especialistas

A aprovação da vacina vai possibilitar que ela seja distribuída pela aliança Covax, iniciativa da OMS para garantir o acesso equitativo às vacinas contra a Covid-19. Na última sexta, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que há 150 milhões de doses da vacina de Oxford e da AstraZeneca disponíveis para distribuição ainda no primeiro trimestre.

Segundo a cientista-chefe, assim que a aprovação for obtida, a OMS começará a receber doses feitas na Índia e na Coreia do Sul. Segundo a vice-diretora-geral da OMS, Mariângela Simão, a recomendação de uso da vacina pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) nesta sexta pode acelerar o processo na OMS.

"É uma aprovação útil porque aprovou os principais dados, que englobam todos os oito locais de fabricação da vacina da AstraZeneca no mundo. Estamos nos últimos passos de avaliação", declarou Simão.

Até o momento, a única vacina aprovada pela OMS é a da Pfizer. Mas há, ainda, outras duas em estágio avançado de análise, segundo a vice-diretora: das farmacêuticas chinesas Sinovac e Sinopharm. Segundo Simão, uma equipe da OMS está na China para inspecionar as instalações de produção, parte do processo de análise.

A OMS também tem feito reuniões com produtores da vacina russa Sputnik V, mas ainda espera informações vitais para avançar o processo, disse a vice-diretora.

A aliança Covax vai disponibilizar ao menos 2 bilhões de doses de vacinas até o fim de 2021 e 92 países pobres deverão ter acesso a 1,3 bilhão de doses ainda no primeiro semestre. O Brasil participa da aliança, mas não está na lista dos países mais pobres.



Data: Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2021

Fonte: Bem Estar

Fone (49) 3622 1639
Rua Barão do Triunfo, 807 - Centro
São Miguel do Oeste - SC
Depieri © 2012 - Todos os direitos reservados
dblinks